História e epistemologia da Física/A Ciência na Grécia

A Ciência na Grécia

"O Milagre Grego"Editar

A cultura grega começa com os mitos. A mitologia era considerada a explicação de tudo. Hesíodo contava sobre Deuses e Homero sobre seres humanos especias, os heróis. Diversos fatores, como o contato com outras culturas e o surgimento de uma elite controladora das cidades-estado, que podia dedicar-se ao pensamento abstrato, questionaram os mitos como explicação dos fenômenos da natureza.

Este foi o "milagre": utilizar o pensamento racional, descartando explicacoes sobrenaturais, prara encontrar na natureza a explicacao de seus proprios fenômenos. O caráter indagativo era marcante e indispensável.

A Física se desenvolve em função da necessidade do homem de conhecer o mundo natural e controlar e reproduzir as forças da natureza em seu benefício.

Física na Antiguidade: é na Grécia Antiga que são feitos os primeiros estudos "científicos" sobre os fenômenos da natureza. Surgem os "filósofos naturais" interessados em racionalizar o mundo sem recorrer à intervenção divina.

Os Pré-SocráticosEditar

Indagavam "O que é o ser?"

A criação para os Pré-Socráticos era a ordenação de um caos - isto teria sido herança do Egito - buscavam uma unidade, um princípio.

Para eles a matéria era contínua, não aceitavam o “vazio”, e portanto, não podia haver “átomos”. "Não pode haver vazio ou vácuo, pois no vácuo todos os corpos cairiam com a mesma velocidade". Aristóteles.

Usavam descrições sensorialistas, baseadas em propriedades macroscópicas.

Tales de MiletoEditar

Tales de Mileto ( 625-546 a.C.), acreditava que tudo o que existia era composto de água. O pensamento de Tales tinha algo especial, enquanto outros povos tinham uma explicação totalmente religiosa sobre os acontecimentos, ele preferia utilizar a razão (a racionalidade). Essa atitude racionalista era muito significativa.

Conta-se que Tales, considerado o primeiro pensador do Ocidente, era tão distraído que certa vez ao olhar para céu caiu num buraco, sendo, por isso, chamado de lunático.

Conta-se também que Tales era tão sabido que, prevendo pela meteorologia uma colheita abundante, comprou todos os instrumentos usados para processar a azeitona, arrendando-os tempos depois com um grande lucro. Essas duas anedotas referem-se ao mesmo filósofo - Tales de Mileto - e até hoje servem para ilustrar as relações contraditórias entre a filosofia e a vida prática.

Tales nasceu na Ásia Menor, na antiga colônia grega de Mileto. É considerado o filósofo da physis, a substância natural de que tudo é formado. Sua grande contribuição foi a busca de um princípio único para as coisas da natureza.

Embora não existam fragmentos da obra de Tales, seu pensamento pode ser conhecido a partir da "Metafísica", obra do também filósofo grego Aristóteles.

Segundo alguns historiadores, Tales foi comerciante, o que lhe rendeu recursos suficientes para dedicar-se a suas pesquisas. Tales estudou no Egito, entrando em contato com astrônomos e matemáticos. Depois de aposentado, passou a dedicar-se à matemática, estabelecendo os fundamentos da geometria.

Atribuem-se a Tales diversas descobertas matemáticas. Além de estudar a geometria do círculo e do triângulo isósceles, Tales demonstrou o cálculo da altura de uma pirâmide, baseado no comprimento de sua sombra. Segundo o historiador Heródoto, Tales previu a ocorrência de um eclipse solar no dia 28 de maio de 585 a.C. Aristóteles chegou a considerar este o momento do nascimento da filosofia.

A primeira teoria atômica começa na Grécia, no século V a.C. Leucipo, Tales de Mileto, e seu aluno Demócrito, de Abdera (460 a.C. - 370 a.C.) , formulam as primeiras hipóteses sobre os componentes essenciais da matéria. Segundo eles, o Universo é formado de átomos e vácuo. Os átomos são infinitos e não podem ser cortados ou divididos. São sólidos mas de tamanho tão reduzido que não podem ser vistos. Estão sempre se movimentando no vácuo.

PitágorasEditar

Contemporâneo de Buda Primeira Universidade do Mundo Escola Pitagórica Igual para homens e mulheres. Acreditavam na re-encarnação e na imortalidade da alma. Pitágoras descobriu em que proporções uma corda deve ser dividida para a obtenção das notas musicais dó, ré, mi, etc. Descobriu ainda que frações simples das notas, tocadas juntamente com a nota original, produzem sons agradáveis. Já às frações mais complicadas, tocadas com a nota original, produzem sons desagradáveis. Ele foi o primeiro a se denominar filósofo. E criou o termo "matemática" que era um sistema de pensamento baseado em provas dedutivas. Deve-se a Pitágoras a noção de mundo como uma esfera.É conhecido pelo famoso teorema de Pitágoras, o qual foi apresentado após ter viajado por vários locais do mundo, em busca de conhecimento. Acredita-se que o teorema de Pitágoras já era conhecido na Índia, local por onde Pitágoras esteve. Via um significado "místico" no número.

PlatãoEditar

Escrevia livros utópicos com influência no cristianismo e com ideias permanentes. Distingue o Mundo Sensível do das Ideias. Em 387 a.C, fundou a Academia de Atenas, uma escola de filosofia com o propósito de recuperar e desenvolver as ideias e pensamentos socráticos.Foi professor de Aristóteles.

"O ideal do conhecimento é a matemática." "Mundo Físico é a cópia imperfeita do mundo ideal" A educação do indivíduo é que poderá elevá-lo ao mundo perfeito.

AristótelesEditar

Certamente o mais extenso filósofo com influência na igreja.

Acreditava na causa final: que considerava que os fins causavam os meios.Ou seja é pelo fim que ocorre o processo de mudança.

Para Aristóteles as coisas tinham o seu "lugar natural".Ex. "a pedra vai ao chão porque é o seu lugar natural." Sua teoria cosmológica prevaleceu até até Galileu. Autor do primeiro trabalho sistemático de Biologia. Aristóteles foi preceptor de Alexandre o grande, o qual aconselhou a dominar os não-gregos. Após a morte deste passou a ser acusado de ímpio, tendo que deixar a cidade, falecendo no ano seguinte. É com Aristóteles que a Física e as demais ciências ganham o maior impulso na Antiguidade . Suas principais contribuições para a Física são as ideias sobre o movimento, queda de corpos pesados (chamados "graves", daí a origem da palavra "gravidade" ) e o geocentrismo . A lógica aristotélica irá dominar os estudos da Física até o final da Idade Média. Aristóteles - (384 a.C. - 322 a.C. ) Nasce em Estagira, antiga Macedônia (hoje, Província da Grécia) . Aos 17 anos muda-se para Atenas e passa a estudar na Academia de Platão, onde fica por 20 anos . Em 343 a.C. torna-se tutor de Alexandre, o grande, na Macedônia. Quando Alexandre assume o trono, em 335 a.C. , volta a Atenas e começa a organizar sua própria escola, localizada em um bosque dedicado a Apolo Liceu - por isso, chamada de Liceu . Até hoje, se conhece apenas um trabalho original de Aristóteles (sobre a Constituição de Atenas) . Mas as obras divulgadas por meio de discípulos tratam de praticamente todas as áreas do conhecimento : lógica, ética, política, teologia, metafísica, poética, retórica, Física, psicologia, antropologia, biologia. Seus estudos mais importantes foram reunidos no livro Órganom. O egocentrismo de Aristóteles descreve o cosmo como um enorme ( porém finito) círculo onde existem nove esferas concêntricas girando em torno da Terra, que se mantêm imóvel no centro delas. A gravidade Aristóteles considera que os corpos caem para chegar ao seu lugar natural. Na antiguidade, consideram-se elementos primários a terra, a água, ar e fogo. Quanto mais pesado um corpo (mais terra) mais rápido cai no chão. A água se espalha pelo chão porque seu lugar natural é a superfície da Terra. O lugar natural do ar é uma espécie de capa em torno da Terra. O fogo fica em uma esfera acima de nossas cabeças e por isso as chamas queimam para cima.



Câmara escura-Precursora da máquina fotográficaEditar

O AtomismoEditar

Diferentemente de hoje considerava-se o átomo como sendo a própria matéria, possuindo as propriedades (macroscópicas) dela.

DemócritoEditar

Para Demócrito o átomo era indivisível, indestrutível, eterno e imutável, portanto tudo é formado por rearranjo de átomos. Existiam dois universos, o da percepção e o do pensamento. Deu início à tradição do pensamento Ocidental de explicar o Universo de forma mecânica.

LeucipoEditar

Filósofo grego, criador do atomismo ou teoria atomista. Considerado discípulo de Parmênides ou de Zenão de Eléia, pouco se sabe sobre sua vida. Segundo Diógenes Laércio, Leucipo acreditava que o universo é infinito, possuindo uma parte cheia e outra vazia. A parte cheia seria constituída por "elementos": os átomos girando em forma de torvelinho. Esse movimento dos átomos não possui lugar, obedecendo à razão e à necessidade. No único fragmento que nos restou, declara: "Nada deriva do acaso, mas tudo de uma razão sob a necessidade." Assim, tudo tem uma razão de ser (determinismo), pois os átomos não se movem devido ao acaso, mas devido à necessidade, chocando-se mutuamente e rechaçando-se uns aos outros. No dizer de Aristóteles, Leucipo foi o primeiro pensador a formular uma teoria atomista para explicar a formação das coisas, teoria essa desenvolvida por Demócrito. É difícil saber o que foi escrito por Leucipo e o que foi escrito por Demócrito, e o que é da autoria de outros membros da escola atomista. De acordo com Teofrasto, pode-se atribuir com segurança a Leucipo uma das obras, Mégas Diákosmos ou Grande Ordenamento, e a Demócrito o Mikròs Diákosmos ou Pequeno Ordenamento, mas o restante pode ser de um ou de outro, com exceção dos escritos éticos e técnicos, que são de autoria de Demócrito.

Ciência em AlexandriaEditar

EuclidesEditar

Criador da geometria euclidiana, da teoria dos números e etc. Publicou 13 livros repletos de matemática, dos quais foram usados até por Isaac Newton(livro texto de matemática por 2000 anos). Livro só não tem mais exemplares que a Bíblia. Frase comum na porta de algumas escolas da época:"Se você não estudou a geometria de Euclides não entre nesta escola". Os livros de geometria hoje existentes nada mais são do que versões do grande livro de Euclides.

ArquimedesEditar

Nascido na Sicília (287 - 212 a.c)era engenheiro, matemático e filósofo. Nasce em Siracusa, na Sicília . Frequenta a Biblioteca de Alexandria e lá começa seus estudos de matemática. Torna-se conhecido pelos estudos de hidrostática e por suas invenções, como o parafuso sem ponta para elevar água. também ganha fama ao salvar Siracusa do ataque dos romanos com engenhosos artefatos bélicos. Constrói um espelho gigante que refletia os raios solares e queimava a distância os navios inimigos. É também atribuído a Arquimedes o princípio da alavanca . Com base neste princípio, foram construídas catapultas que também ajudaram a resistir aos romanos. Depois de mais de três anos, a cidade é invadida é Arquimedes e assassinado por um soldado romano. Arquimedes gostava do conhecimento prático. Considerado o pai da mecânica.Realizou grandes descobertas em hidrostática. Inventou a alavanca e a espiral para elevação da água.Também contribui para a matemática, onde estendeu os trabalhos de Euclides, especialmente no que se refere ao volume de uma esfera. Antecipou o cálculo Integral. Os princípios da hidrostática que é o estudo do equilíbrio dos líquidos, é inaugurada por Arquimedes. Diz a lenda que Hierão, rei de Siracusa, desafia Arquimedes a encontrar uma maneira de verificar sem danificar o objeto, se era de ouro maciço uma coroa que havia encomendado. Arquimedes soluciona o problema durante o banho. Percebe que a quantidade de água deslocada quando entra na banheira é igual ao volume de seu corpo. Ao descobrir esta relação sai gritando pelas ruas "Eureka, eureka !" ( Achei, achei !) . No palácio, mede então a quantidade de água que transborda de um recipiente cheio quando nele mergulha sucessivamente o volume de um peso de ouro igual ao da coroa, o volume de um peso de prata igual ao da coroa e a própria coroa. Este, sendo intermediário aos outros dois, permite determinar a proporção de prata que fora misturada ao ouro. A partir dessas experiências Arquimedes formula o princípio que leva o seu nome: todo corpo mergulhado em um fluído recebe um impulso de baixo para cima ( empuxo ) igual ao peso do volume do fluído deslocado. Por isso os corpos mais densos do que a água afundam e os mais leves flutuam. Um navio, por exemplo, recebe um empuxo igual ao peso do volume de água que ele desloca. Se o empuxo é superior ao peso do navio ele flutua.

Ptolomeu e o AlmagestoEditar

Cláudio Ptolomeu (120-180)nasceu em Alexandria. Autor de Almagest, sua obra foi considerada um padrão até o século XVI. No sistema Ptolomaico, a Terra era o centro estacionário do Universo, onde o sol, a Lua, as estrelas e os planetas giravam em torno, em pequenos círculos, cujos centros se moviam ao longo de círculos maiores.


  Este módulo tem a seguinte tarefa pendente: Incluir linha de tempo