Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Rua 24 de Maio. Livr. da Imprensa de A. Annunziato São Paulo Fotolabor

Rua 24 de Maio. Livr. da Imprensa de A. Annunziato São Paulo Fotolabor (metadados).

Lista de marcas identificadasEditar

  • Livraria da Imprensa de Antônio Annunziato
  • Touring Club do Brasil
  • Agência Geral de Figurinos

Pesquisa sobre marcasEditar

Livraria da Imprensa de Antônio AnnunziatoEditar

O italiano Antônio Annunziato começou, em 1917, importando jornais e revistas do Rio de Janeiro e da Europa. Aos poucos, atendendo à clientela imigrante.

Antônio Annunziato era um grande amigo de São Paulo, terra que adotou como sua, prestando-lhe durante mais de cinquenta anos de profissão e atividade nos mais assinalados serviços, particularmente no campo da cultura. Livreiro desde 1917, quando fundou a sua casa de vendas de livros ao lado do antigo Café Brandão, onde depois foi construído o grande prédio Martinelli, Annunziato dedicou-se com afinco as revistas do país, o que correspondia ao interesse nacional à distribuição na capital paulista,

Naquele tempo tinha importação de jornais do Rio de Janeiro, tais corno: "O Imparcial", "A Época", "A Gazeta de Noticias" e outros como revistas do Rio e Almanaques, e também foi a primeira livraria a importar jornais e revistas do exterior. Aparentemente o negócio teve sucesso, visto que chegou a ter três agências funcionando ao mesmo tempo.

Referências

http://www3.eca.usp.br/sites/default/files/webform/projetos/bolsistas/MFAG.pdf

https://ptdocz.com/doc/1419000/câmara-municipal-de-são-paulo--

Touring Club do BrasilEditar

A fundação do Touring Club do Brasil, em 1923, com a denominação de Sociedade Brasileira de Turismo, foi uma das inúmeras expressões cívicas que se seguiram às comemorações do Centenário da Independência do Brasil. Criada para divulgar os recursos turísticos do país junto às então chamadas classes superiores da nossa sociedade - e reverter assim a "monomania de Europa" que dominava as elites brasileiras - a Sociedade descobriu cedo o anacronismo de muitos conceitos burocráticos e sociais prevalecentes no país e trabalhou obstinadamente para modernizá-los.

A partir daí, escreveu-se uma história de rara grandeza entre as instituições civis brasileiras, feita de talento, pertinácia e espírito nacionalista.

Na foto tirada por Haberkorn podemos observar a primeira sede em São Paulo (Rua 24 de Maio, nº 1). Com inauguração prevista para 2 de julho de 1932, o Touring paulista só pôde funcionar no ano seguinte, por causa da Revolução Constitucionalista que rebentou em São Paulo a 5 de julho.

Referências

http://touring.com.br/historia.asp#

Mercado OriginalEditar

Após uma árdua pesquisa, não foi possível encontrar registros e dados sobre a marca.

Comentários sobre a fotografiaEditar

Entre as décadas de 1940 e 1950 a cidade foi detalhada e registrada por Werner Haberkorn. A estética modernista vigorava na fotografia naqueles tempos. Na vasta coleção produzida por Werner, destacam-se dois temas urbanos que em conjunto confortam a imagem da cidade de São Paulo: a verticalização e automobilização. A partir de análises pontuais das fotografias de Werner, é possível acompanhar o processo de urbanização vivenciado pela capital paulista em meados dos século XX.

A produção do fotógrafo permite acompanhar, em um lapso de tempo, a presença de edifícios importantes antes e depois de sua construção. No conjunto fotográfico de Werner, podemos presenciar a implantação de muitos desses edifícios comerciais, residenciais ou edifícios mistos - edifico-galerias, edifícios-conjuntos, etc. Os edifícios convocados a tematizar o crescimento, a modernidade, a expansão juntamente com a automobilização são estrelas privilegiadas da produção urbana desse período.