Sessão das Cortes de Lisboa é uma pintura histórica, um óleo sobre tela pintado por Oscar Pereira da Silva, de 1922, com 315 centímetros de altura e 262 centímetros de largura.

O quadro representa uma sessão das cortes gerais e extraordinárias da Nação Portuguesa e mostra um salão suntuoso.

Ao fundo e no centro do salão há uma área elevada com uma mesa de madeira, e atrás dela estão três homens. Um parece estar de pé e outro tem o braço estendido. Atrás deles há uma cadeira dourada vazia e presa à parede, um pouco acima do chão. Em cima da cadeira há um quadro, e acima dele um suporte de onde tomba uma longa cortina dourada, semiaberta e presa pelas extremidades, com véus em tom avermelhado. O suporte e a cortina emolduram o conjunto formado pela cadeira e pelo quadro.

À direita, ao fundo, abrigado junto a uma mesa de madeira, um grupo de homens com os braços esticados parece se dirigir ao lado esquerdo do salão.

O salão está repleto de homens agrupados em um círculo, com casacas em tons de azul, preto, cinza e marrom, camisas brancas e gravatas no estilo da corte do século 19. Alguns têm os braços esticados, em gestos que indicam uma discussão acalorada.

À direita e em destaque à frente, um homem de pé com casaca marrom se dirige aos que estão à esquerda. Ao lado dele há uma cadeira de madeira, com as costas arredondadas e assento e braços com forro também avermelhado, e igual às cadeiras em que outros homens estão sentados. À esquerda, outro homem de pé olha para ele, e parece que todo o salão presta atenção e reage ao que o homem de casaca marrom diz.

O salão tem paredes em azul-claro, teto alto e encurvado e moldura sombreada em azul com entalhes decorativos que lembram ramagens.

As paredes contêm dois grupos de vidraças com cortinas avermelhadas semiabertas e presas nos cantos. O primeiro grupo é de janelas quadradas com moldura superior arredondada e fica próximo à moldura do teto, ao alto. O segundo está rente ao chão do salão, e é formado por janelas alongadas com molduras superiores arredondadas e que lembram uma coroa. Espaçadas na parte do meio da parede, entre os dois agrupamentos de vidraças, há luminárias douradas em formato de castiçal de onde saem duas lâmpadas em forma de vela. Do teto pendem quatro candelabros dourados com pingentes de cristais e castiçais no mesmo estilo das luminárias. #


AD de Lúcia Leão