Umbanda/Conclusão

A umbanda sempre esteve vinculada às camadas mais pobres da sociedade brasileira. Por tal motivo, sempre foi discriminada como uma manifestação cultural marginal, fora da lei, combatida pela religião oficial do país, o catolicismo[3] e, atualmente, pelas igrejas evangélicas[4]. O que nunca impediu que as pessoas de todos os níveis sociais sempre procurassem seus terreiros[5].

Velho Marinheiro, de Bertha Worms. Espíritos de figuras típicas da cultura brasileira, como marinheiros e boiadeiros, também costumam incorporar em médiuns durante as sessões de umbanda.[1]
O tabaco é muito usado na umbanda como um agente purificador. Os exus e caboclos costumam usar charutos, enquanto que os pretos velhos costumam usar cachimbos[2].

Referências