Astronomia mirim/Cometas

Fatos sobre cometas
  • Os cometas são frequentemente descritos como gigantes "bolas de neve e poeira" porque são na sua maioria compostos por gelo e um pouco de terra.
  • Os cometas têm duas "caudas": uma composta principalmente de rochas e poeira, a outra, principalmente de gás.
  • As caudas dos comentas geralmente sempre apontam em direção oposta ao Sol.



O que é um cometa?Editar

Pense em um cometa como uma grande bola empoeirada de neve gasosa. Os cometas são formados no anel de rochas, poeira e gelo que orbita o Sol além Plutão chamado cinturão de Kuiper. Quando um cometa cresce, começa a ser puxado em direção ao Sol. Cometas do nosso Sistema Solar normalmente levam muitos anos para orbitarem ao redor do Sol — a partir de algumas dezenas de anos para muitos milhares de anos. Isso é porque eles começam a orbitar o Sol de a partir de uma distância muito grande.

Como um cometa se parece?Editar

Os cometas que podem ser vistos no céu sem telescópios são incomuns porque eles são maiores e mais brilhantes do que a maioria. Você pode ter a chance de ver uma vez ou duas vezes durante a sua vida. A maioria dos cometas só pode ser visto com um telescópio. Os poucos que podem ser vistos à olho nú são geralmente apenas estrias ou manchas de nebulosas fracas no céu noturno.

Quando os cometas estão muito longe do Sol, eles ficam cobertos de uma camada de gelo, rochas escuras, e poeira. Quando um cometa se aproxima do Sol, o gelo começa a derreter. Isto cria grandes quantidades de água e de gás que vão aos poucos se expalhando ao redor do cometa. Às vezes pode até ser visto a partir da Terra, com uma ou duas caudas, fluindo para longe do cometa. Mesmo quando apenas uma cauda pode ser vista, há duas, uma é feita a partir de gás e água, a outra das pedras, poeiras, e pedaços de gelo.

Cometas geralmente têm poucos quilómetros de comprimento, mas suas caudas podem chegar a ter vários milhões de quilômetros.

Vendo cometas no céuEditar

Os "grandes" cometas que produzem caudas particularmente espetaculares são alguns dos objetos mais raros em nosso sistema Solar. Normalmente, eles só podem ser vistos cerca de uma vez a cada cem anos, por isso é muito raro ver um desses cometas. O último grande cometa surgiu em 1910, mas ainda pode ser mais cem anos antes de outro se aproxima da Terra. Os astrônomos não podem prever exatamente como ou quando eles aparecerão, pois ainda há coisas sobre o nosso Sistema Solar que eles ainda não compreendem muito bem. Se você ouvir falar de um cometa vindo em direção ao céu em breve, siga as instruções abaixo para vê-lo!

  1. Descubra se o cometa vai estar em sua área do céu.
  2. Obter um telescópio ou binóculo e algumas cadeiras para visualizá-lo. Grandes cometas não requerem um telescópio para poder visualizá-los.
  3. Peça a seus pais para levá-lo a um parque, na mata ou outro lugar escuro, longe das luzes da cidade.
  4. Olhe para o céu e desfrute desta vista incrível.

Normalmente a poeira que compõem a cauda do cometa é tão fina que seria difícil vê-la. No entanto quando esta cauda entra em contato com a atmosfera da terra ela brilha (o atrito entre as partículas gera calor e luz). Estes são as recorrentes chuvas de meteoros que acontecem ao longo do tempo, e a maioria das grandes chuvas de meteoros já foram identificados, ou como um cometa, ou os restos de um cometa. Quando a Terra passa por esta poeira deixada para trás, fica mais fácil ver estrelas cadentes e meteoros durante à noite.

Quantos cometas existem?Editar

 
Edmond Halley

Ninguém sabe ao certo. Todos os cometas passam a maior parte da sua órbita tão longe do Sol que não podem ser vistos — mesmo com um telescópio. No entanto, a cada ano, astrônomos amadores [1] descobrem mais de 100 cometas, nunca antes vistos, que se aproximam o suficiente para serem descobertos [2].

A partir de novembro de 2005, os astrônomos descobriram 2857 cometas [3].

A maioria dos cometas que vemos vão colidir com o Sol ou deixar o Sistema Solar. Pode haver milhões desses cometas que mais cedo ou mais tarde virão ao alcance dos nossos telescópios.

De todos os cometas que já foram vistos, astrônomos acreditam que 253 nunca voltarão [4].

Como dão nome aos cometas?Editar

Um cometa é normalmente nomeado em homenagem ao astrônomo que o descobriu. Quando várias pessoas estão envolvidas na sua descoberta, às vezes você vai ver vários nomes em um cometa, como o cometa Hale-Bopp, ou cometa Shoemaker-Levy. É geralmente considerado uma grande honra ter seu nome em um cometa.

Quais são os mais famosos?Editar

 
local de impacto de um fragmento do cometa Shoemaker-Levy 9 com Júpiter
  • Cometa Halley — Talvez o mais famoso de todos os cometas, e este foi o primeiro cometa a ser identificado como um cometa periódico.
  • Cometa Encke — O segundo cometa a ser identificado como um cometa periódico.
  • Cometa Shoemaker-Levy 9 — Este foi o primeiro cometa a ser observado colidindo com outro objeto no Sistema Solar. Neste caso ele colidiu com o planeta Júpiter, um dos eventos astronômicos mais estudados da história.

Cometas trazem sorte?Editar

Nos tempos antigos as pessoas não tinham uma boa compreensão do que realmente eram cometas, ou de onde vieram. Eles eram vistos como objetos muito incomuns no céu, e de natureza temporária. Em algumas sociedades muitas vezes era um sinal de acontecimentos ruins no futuro, associados com a morte de um rei ou uma derrota militar significativa. Em outros países, os cometas eram um sinal de boa sorte, trazendo aumento da fertilidade e mais comida. Os antigos astrônomos chineses parecem ter feito o melhor trabalho quanto aos registros de cometas apareceram no céu, deixaram descrições detalhadas de como eles eram, e aproximadamente onde no céu cada cometa foi visto.

Mesmo tão recentemente como o 1910 aparência do cometa de Halley, houve pânico generalizado quando se descobriu que a Terra poderia passar pela cauda desse cometa. O pânico era sobre a possibilidade de gases do cometa inundando a atmosfera da Terra com o veneno. A realidade é que existia muito pouco gás na cauda do cometa, o efeito na atmosfera na terra seria mínimo.

ReferênciasEditar