Guia dos Trouxas para Harry Potter/Magia/Expecto Patronum


Expecto Patronum

Visão GeralEditar

"Esse feitiço antigo e misterioso conjura um guardião mágico, uma projeção de seus sentimentos mais positivos. O feitiço Patronus é difícil, e muitas bruxas e bruxos não conseguem reproduzir um Patronus guardião completo, corpóreo, que em geral tem a forma do animal com o qual a bruxa ou bruxo tem a mais profunda afinidade. Você pode até desconfiar, mas, nunca saberá de verdade, que forma seu Patronus terá até que consiga conjurá-lo corretamente."— Miranda Goshawk (autora do “Livro Padrão de Feitiços”)

Expecto Patronum, ou o Feitiço Patronus, conjura um Patronus, que pode ser uma simples fumaça branca ou, para os conjuradores mais avançados, aparecer como uma forma branca prateada de um animal. Se ele tem a forma de um animal, é chamado um Patronus corpóreo. Esse feitiço é usado para afastar os Dementadores, que são os guardas de Azkaban.

Descrição EstendidaEditar

SpoilerEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

"É uma magia muito, muito adiantada ..." — Hermione Granger comenta sobre a dificuldade e complexidade do feitiço.

Harry aprende esse feitiço com Remus Lupin no livro O Prisioneiro de Azkaban, capitulo 12.

A facilidade de Harry em conjurar um Patronus corpóreo no seu terceiro ano de estudo de magia, mostra sua habilidade como bruxo, uma vez que é um feitiço muito avançado e extremamente difícil para bruxos menores de idade. De fato, muitos bruxos e bruxas não conseguem produzir um Patronus de nenhum tipo.

No quinto ano, quando Harry faz seus exames de N.O.M.s seu examinador de Feitiços propõe lhe dar um ponto extra caso ele possa produzir um Patronus corpóreo. Um ponto ou um grau maior, valeria mais ou menos 15% de suas notas totais, portanto conseguir esse ponto em Feitiços parece muito valioso.

O próposito primário do Patronus, como já foi mencionado, é a defesa contra os Dementadores. O Professor Lupin descreve assim: “... uma espécie de anti-Dementador – um guardião que age como um escudo entre você e o Dementador.” E: “O Patronus é uma espécie de força positiva, uma projeção das principais coisas das quais um Dementador se alimenta – esperança, alegria, o desejo de sobreviver – mas os Patronus não podem sentir desespero, como os verdadeiros seres humanos podem, portanto os Dementadores não podem feri-los.” Presume-se que um Dementador descobrindo que está sendo confrontado com um ser que não sofre como um humano sofreria, se afaste confuso. Em A Ordem da Fênix, capitulo 01, vemos o Patronus de Harry atacar os Dementadores; embora o Patronus não tenha um corpo físico, os Dementadores, que não enxergam, não podem vê-lo, tudo o que podem é perceber seu calor emocional, que os está atacando e portanto eles fogem para se salvar.

Também vemos o Patronus ser usado como um feitiço de sinalização quando o Professor Dumbledore o envia à Hagrid em O Cálice de Fogo, capitulo 28, e também quando Tonks envia o Patronus para chamar alguém de dentro da escola para abrir os portões em O Enigma do Príncipe, capitulo 8. According to the author, de acordo com a autora, na comunicação através do Patronus, Dumbledore foi o pioneiro e é usado exclusivamente pelos membros da Ordem da Fênix.

O Patronus é muito usado em As Relíquias da Morte tanto como instrumento de comunicação da Ordem da Fênix, agora uma organização fora da lei, quanto como defesa contra os Dementadores, que estão zanzando pelos campos ingleses. Vemos, em especial, Arthur Weasley o usando para avisar a Harry, em seu aniversário, da chegada iminente de Rufus Scrimgeour, o Ministro da Magia. No dia seguinte, Kingsley Shacklebolt envia seu Patronus para avisar aos membros, no casamento de Bill e Fleur que o Ministro da Magia caiu; Arthur envia seu Patronus mais tarde da noite para contar a Ron, Hermione e Harry que toda a família Weasley está bem. Também vemos os Patronus sendo usados como defesa contra os Dementadores por Harry, Hermione, Luna, Ernie Macmillan, Seamus Finnigan e Dolores Umbridge.

Nós vemos o bode que é o Patronus de Aberforth Dumbledore quando o Trio retorna a Hogsmeade em As Relíquias da Morte, capitulo 28. E finalmente vemos o Patronus de Severus Snape em duas ocasiões.

A forma corpórea do Patronus é significativamente influenciada pela personalidade do conjurador. O de Harry é um cervo; de Dumbledore uma fênix, o Patronus de Tonks é “algo grande e peludo”, e como visto em O Enigma do Príncipe, mudou recentemente. Os membros da Armada de Dumbledore também conseguem, alguns deles, conjurar um Patrono, o de Cho Chang é um cisne e de Hermione é uma lontra. Eventos podem mudar a forma de um Patronus; o Professor Snape comenta que o Patronus de Tonks mudou. Aparentemente isso ocorreu com a morte de Sirius Black, e Harry, a principio, acha que o novo Patronus de Tonks tomou a forma de cachorro como era o de Sirius.

Por causa da conexão entre a personalidade do conjurador e a figura do Patronus, ele pode ser usado, de alguma forma, como identificação do bruxo. Harry é identificado, por exemplo, por seu Patronus em Hogsmeade; os Comensais da Morte que estão vigiando se ele volta para Hogsmeade entendem que ele voltou pela forma do Patronus que ele usa para se defender dos Dementadores que eles mandam, para caçá-lo. Essa é uma identificação um pouco fraca, porque é possível que diversos bruxos tenham o mesmo animal como Patronus, e porque nem todos os bruxos consigam conjurar esse feitiço; mas é muito difícil que um bruxo disfarçado tenha o mesmo Patronus que o bruxo que ele tenta personificar.

A tradução literal do latim: Expecto Patronus – Eu desejo meu patrono (protetor, padroeiro, benfeitor).

AnáliseEditar

Apenas os bruxos de nível avançado podem, aparentemente, conjurar simultaneamente múltiplos Patronus. Vimos a Professora McGonagall conjurar três Patronus de uma vez, em As Relíquias da Morte, capitulo 30, quando ela precisa fazer contato com os Chefes das Casas.

PerguntasEditar

  1. O Patronus de Harry é um cervo. A forma Animago de seu pai também era um cervo. Sabemos pela descrição dos Animagos, que a forma que o bruxo assume tem a ver com a sua personalidade. Os Patronus e Animagos são coisas relacionadas? Passa de pai para filho? Se a forma de um Patronus muda, sua forma Animago também muda?
  2. Com certeza, a forma que o Patronus de um bruxo toma, é relacionada com sua personalidade ou com eventos que ocorreram em sua vida. Se você tivesse um Patronus, que forma ele teria?

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar

Há dois feitiços que relacionam um bruxo ou bruxa a uma forma animal: o Patronus e a transformação em Animago. No decorrer dos livros, vemos apenas uma bruxa que tanto é Animago quanto conjura um Patronus visível, é a Professora McGonagall. O fato é que a sua forma Animago é a mesma de seu Patronus, um gato malhado (tabby cat), isso indicaria que existe a influência de um no formato do outro. Talvez seja uma suposição razoável, dizer que o formato resultante de qualquer um desses feitiços está relacionado com o estado mental do conjurador no momento; mas a transformação em Animago, sendo uma habilidade única de transformação, parece não aceitar a mudança no animal que a pessoa escolhe, seria a transformação no momento psicológico em que foi feita, enquanto que o feitiço Patronus, pode ser invocado novamente a cada vez, ele reflete o estado do conjurador naquele momento. Há mais discussões sobre isso na parte que trata de transformação em Animago.

Vimos na Descrição estendida o Patronus do Professor Snape em duas ocasiões, deliberadamente omitimos a forma do Patronus de Snape porque se trata de um spoiler dos grandes. O Patronus de Snape tem a forma de uma corça, e isso é visto pela primeira vez em As Relíquias da Morte, capitulo 19 e mais tarde no capitulo 33, numa conversa com o Professor Dumbledore. Dumbledore reconhece que é relacionada à Lily Potter (na época Lily Evans) e ao amor não correspondido que Snape sentia por ela. Podemos reparar que em três ocasiões, Harry, Snape e Tonks, o Patronus tomou a forma do objeto de sua maior afeição: o de Harry relacionado ao seu pai, o de Tonks relacionado a Lupin e o de Snape relacionado a Lily. Fica claro que a forma do Patronus é influenciada pelo amor, correspondido ou não, ou perdido. Relacionado a isso, notamos que o Patronus de Hermione é uma lontra, e se sua forma está relacionada a objeto de amor, esperaríamos que fosse uma doninha (weasel por causa de weasley); Hermione, no entanto, sabe muito bem que doninhas e lontras pertencem à mesma família, Mustelidae.