Guia dos Trouxas para Harry Potter/Magia/Trato das Criaturas Mágicas


Trato das Criaturas Mágicas
  • tipo = matéria
  • características = interação com as criaturas mágicas.
  • Aparece pela Primeira Vez = O Prisioneiro de Azkaban

Visão GeralEditar

Trato das Criaturas Mágicas é uma matéria ensinada na escola de Hogwarts, que coloca os alunos em contato com várias criaturas mágicas, ensinando suas características e utilidades. Essa matéria é eletiva, ensinada nas séries terceira, quarta e quinta; os alunos com notas altas no N.O.M. podem passar para o nível N.I.E.M. nas séries sexta e sétima. O Trio cursou essa matéria da terceira até a quinta série.

Descrição EstendidaEditar

SpoilerEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Como presente de aniversário para Harry, no capítulo 1 do livro O Prisioneiro de Azkaban, Hagrid manda para Harry, um livro, “O Livro Monstruoso dos Monstros”, que tentou atacar Harry assim que ele o desembrulhou. Então Harry descobre que esse é o livro texto para a matéria, Trato das Criaturas Mágicas. No terceiro livro, ainda, no capitulo 5, o Professor Dumbledore anuncia que o Professor Kettleburn está se aposentando “para poder aproveitar melhor os membros que ainda lhe restam,” e o novo professor de Trato das Criaturas Mágicas será Rubeus Hagrid.

Hagrid começa ensinando sobre Hipogrifos, mas, Draco Malfoy insulta uma dessas criaturas e é atacado. Draco se aproveita de seus ferimentos para fazer Hagrid perder a confiança, e ensinar Vermes Cegos durante todo o outono.

Durante os três anos seguintes, Hagrid, ou a Professora Grubbly-Plank, ensinam à turma de Harry sobre um grande número de criaturas como Ouriços (Knarls), Pelúcios (Nifflers), Salamandras, Unicórnios, Tronquilhos (Bowtruckles), Thestrals, por exemplo, e algumas nem tão comuns, que aparecem durante a quarta série inteira e são os Explosivins (Blast-Ended Skrewts).

Nenhum dos membros do Trio escolheu fazer o exame N.I.E.M. dessa matéria embora aparentemente tenham conseguido notas boas o suficiente no N.O.M. portanto, não temos nenhuma informação sobre quais as criaturas que os alunos das sexta e sétima séries estudam.

AnáliseEditar

Um exame do livro de “Newt Scamander”, “Criaturas Fantásticas e Onde Habitam”, nos mostra que existe um grande número de criaturas no mundo mágico que nós não conhecemos. Muitas delas possuem características bastante úteis também. Se pararmos para pensar por um momento, tem toda lógica que alunos de uma escola de magia estudem sobre essas criaturas, uma vez que elas fazem parte vital da vida mágica diária. É claro que as escolas urbanas modernas não ensinam mais agricultura, pecuária, mas essas matérias existem e fazem parte do currículo, nas escolas rurais dos Trouxas. Nós podemos observar que no modo de vida dos bruxos essa matéria é, em geral ensinada nas pequenas vilas e zonas rurais e não nas grandes cidades.

Parece, no entanto, que muitos bruxos não precisarão saber como lidar com as criaturas mágicas, uma vez que recebam seu diploma. Isso nos sugere que o Trato das Criaturas Mágicas, pode ser na vida real, uma matéria bem menos popular do que aparece nos livros, Quase todos os alunos da classe de Harry freqüentam essa matéria, e parece que muito poucos abandonam o curso, mesmo com os Explosivins, no quarto ano de Harry, aterrorizando os alunos.

Está bem claro nos livros, que Harry está usando as aulas como uma forma de se encontrar e discutir assuntos com Hagrid, nos momentos em que os alunos não podem sair do castelo. Isso, no entanto, não explica porque Draco permanece no Trato das Criaturas Perigosas; especialmente depois do ataque do Hipogrifo, seria de se esperar que o pai de Draco desse ordem para que ele abandonasse a matéria. Podemos só imaginar, que a autora escolheu deixar Draco na mesma aula para manter os conflitos com o Trio, e talvez porque Lucius pense que ele pode causar mais problemas para Hogwarts, se Draco ficar numa aula cujo professor é meio gigante.

O Professor Silvanus Kettleburn permanece sendo apenas um nome até a publicação de “Os Contos de Beedle, o Bardo”. Nesse livro, as notas do Professor Dumbledore, incluem informações significativas sobre as experiências do Professor Kettleburn, inclusive quando ele aumentou um Cinzal (Ashwinder) de uma tal maneira, que causou danos significativos no Grande Salão, quando o Cinzal explodiu sem que ninguém esperasse. Esse tipo de experiência, sem duvida, é o motivo do comentário de Dumbledore sobre “os membros que lhe restam”. Parece que ignorar um pouco o perigo, é componente necessário para o professor de Trato das Criaturas Mágicas, uma vez que as criaturas envolvidas são quase sempre perigosas. Dumbledore deve ter escolhido Hagrid para o cargo, em parte por causa de seu potencial para enfrentar o perigo: Hagrid sendo meio gigante tem uma resistência natural a muitas formas de ataque. Inclusive, deve ter sido por isso que Hagrid foi escolhido como o Guarda das Chaves e Terrenos de Hogwarts, cargo que, aparentemente envolve uma certa familiaridade com os habitantes da Floresta Proibida

É interessante notar, no artigo sobre a Floresta Proibida: “Para poder ter lições sobre o Trato das Criaturas Mágicas é necessário que existam tais criaturas; parte da função da Floresta Proibida é providenciar um habitar próximo para essas criaturas.” Prosseguindo com o raciocínio, é claro que a presença da Floresta com as criaturas que ali habitam, necessita de algum cuidado, e é isso que Hagrid faz durante os dois primeiros anos da série. Ter Hagrid como professor, ensinando sobre as criaturas das quais ele cuida, se torna um passo lógico para a autora. O leitor pode ficar um tanto decepcionado pela saída do extravagante Professor Kettleburn, mas a escolha de Hagrid para o posto, simplifica o processo do Trio, de encontrar Hagrid sempre mais tarde durante a série.

PerguntasEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar

Harry aprende algumas informações valiosas nesse curso. Especialmente, o que ele aprende sobre Thestrals, vai ajudá-lo assim como aos outros cinco a chegar ao Ministério da Magia em A Ordem da Fênix, capitulo 33. Também tudo o que ele aprendeu sobre Hipogrifos vai ser de grande ajuda para resgatar Sirius, em O Prisioneiro de Azkaban, capitulo 21.

Ainda assim, muitas criaturas mágicas que Harry encontra e com quem tem que lidar em suas aventuras, estão ligadas a uma matéria diferente; em DCAT ele aprende sobre bichos-papões, dementadores, grindylows (demônios aquáticos) e diabretes, por exemplo, no entanto, com relação a dragões e ao basilisco, ele tem que aprender por sua própria conta.