Introdução à Biologia/Ecologia/Sucessão ecológica

O conceito de sucessão ecológica refere-se às alterações que uma comunidade ecológica sofre ao longo do tempo, fazendo com que esta atinja uma estabilidade e resistência maiores a perturbações externas.

TiposEditar

Existem vários tipos de sucessões ecológicas. Dois deles são a sucessão primária e sucessão secundária. No primeiro caso, o ponto de partida para o desenvolvimento da comunidade é um substrato isento de vegetação, muitas vezes sem solo, como são o caso as situações após erupções vulcânicas ou após o recuo de glaciares. No segundo caso, existe um evento (um fogo, por exemplo) que disturba uma comunidade pré-existente.

FasesEditar

Há três partes da sucessão, a primeira, comunidade pioneira ou ecese a segunda comunidades intermediarias ou serais e a terceira ou comunidade clímax.

Numa sucessão, temos inicialmente as comunidades pioneiras (primeiros seres vivos a ocuparem um substrato), seguido por comunidades intermediárias que apresentam um nível maior de diversificação e, finalmente a comunidade clímax, quando a comunidade atinge seu grau máximo de desenvolvimento e equilíbrio.

Inicialmente, temos um predomínio de seres autótrofos e espécies de pequeno porte e de fácil dispersão. Ao atingir o clímax, já temos uma presença de seres autótrofos e heterótrofos, com predomínio de espécies mais complexas e exigentes.