História da Nova Zelândia /Uma Nova Economia

A nova economia introduzida na Nova ZelândiaEditar

Após 50 anos da fundação de Sydney em 1788, a Nova Zelândia se tornou um posto econômico avançado da New South Wales (Nova Gales do Sul, Austrália). A economia da Nova Zelândia foi baseada na economia europeia, que, na época era caça à baleia, caça às focas, agricultura e comércio com o povo maori.

 
meninas maori (1898)


Caça à baleiaEditar

Nos primeiros quarenta anos do século 19, essa foi a maior atividade econômica para os europeus que vinham para Nova Zelândia. Nessa época na Europa precisavam do óleo da baleia (para iluminação das ruas, fritar comida, lubrificação de instrumentos ou ferramentas), portanto essa atividade foi bem sucedida.

O primeiro baleeiro foi William Ann em 1791-92 e por volta de 1800 havia britânicos, americanos e franceses, inclusive os maoris tripulavam esses barcos.

Caça às focasEditar

Esse também era um comércio rendoso e caçavam as focas para vender suas peles, no mercado chinês eram trocadas por chá. Isso foi por volta de 1792-93.

As focas foram caçadas até que suas colonias em Bass Strait, Austrália se acabaram.

As peles dos bichos eram usadas para fazer chapéus, sapatos. O óleo era usado para iluminação e em alguns processos industriais.

Assim como os pássaros Moa, que foram extintos, as focas quase chegaram à extinção por volta de 1830.

Finalmente sua caça foi proibida em 1926.

Comércio com o povo maoriEditar

A primeira cidade europeia nasceu em Kororāreka, quando os caçadores europeus começaram a chegar a Bay of Islands em busca de comida e água.

Por volta de 1790, os maoris começaram a produzir porco e batatas para comerciar com os europeus.

A presença dos europeus levou os maoris para as cidades europeias. Os maoris rapidamente se aproveitaram dos benefícios do comércio começaram a gostar do fato dos europeus viverem entre eles.

Seu maior interesse era adquirir armas de fogo.